contato para shows

 

(61) 98124-4538

novaluz98@gmail.com

siga

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • SoundCloud - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle

© 2016 por Nova Luz. Todos os direitos reservados.

“É tudo bem feito, bem cantado e bem tocado demais. Sou só aplausos para eles...” 
 
Denis Soares

Sobre

nós

Criada em abril de 1998, a partir de um ideal comum entre amigos que já participaram juntos de um grupo de canto, a Banda Nova Luz tem como meta a divulgação da mensagem espírita cristã por meio da música, mesclando um formato instrumental moderno a uma diversidade vocal inspirada na versatilidade do canto coral.

a banda

Seu repertório tem como base trabalhos dos próprios componentes, incluindo obras de compositores que influenciam profundamente o trabalho do grupo, como Alexandre Paredes, Armando Reis e Denis Soares.
 

A banda tem como principais influências, na música popular brasileira, Boca Livre, 14 Bis e Roupa Nova, pois buscam a valorização dos arranjos vocais aliados a um instrumental contemporâneo.

sua história

Observando o meio musical espírita brasiliense, percebeu-se espaço para novos tipos de trabalho, de onde surgiu a ideia de se formar uma banda espírita. Mas com quem? A afinidade entre os amigos foi dando a resposta.

Alex já era contrabaixista há alguns anos; Kleber e Welington tinham vasto repertório no violão; Fernando estudaria flauta; na bateria chegou-se a cogitar o nome de Edvan Dias, mas compromissos outros fizeram com que ele não pudesse seguir com o grupo; André foi então convidado; na guitarra entrou o versátil Timothy e para o teclado foi chamado o Alexandre.

Numa tarde de sábado, no dia 18 de abril de 1998, começaram os ensaios.
 

Ainda no primeiro ano tivemos a saída do Timothy e o sexteto restante começou a desenvolver um trabalho inicialmente bem simples, com pouco equipamento, mas muita disposição. A mistura de banda com grupo vocal foi agradando, sobretudo ao público jovem, das mocidades, e, aos poucos, chegavam convites para apresentações, o que pedia aprimoramento constante do trabalho. Mas que grupo era esse? Diante de um impasse entre duas sugestões para o nome definitivo, Alex trouxe a ideia “Nova Luz”, que agradou em cheio e foi acolhida por unanimidade.

Apresentando-se em postos de assistência, mostras de música e outros, o nome da banda foi sendo mais e mais conhecido e, em março de 2000, acontece seu primeiro evento de grande porte: a CONCAFRAS/Brasília, para um público superior a 6.000 pessoas. Nessa época contamos com a participação de Gisele Barbosa no vocal.

o início

a materialização do trabalho

Com um repertório básico formado, chega o momento de entrar em estúdio para a gravação do primeiro CD, “Bênção do Trabalho”, lançado em 2004, o qual contou com participações especiais, destacando-se os maravilhosos arranjos vocais de Wellington Fagundes.



​Em 2005, um dos momentos mais marcantes na história da banda: as apresentações no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, durante um seminário com Divaldo Franco, perante um público estimado em 12.000 pessoas, assim como a participação na Marcha em Defesa da Vida, na Esplanada dos Ministérios, em 2007, onde a banda deu sua contribuição perante cerca de 8.000 pessoas!

Cada vez mais conhecida no DF, eis que novos horizontes se abrem ao trabalho do grupo, com a produção de uma tiragem de 10.000 cópias de seu primeiro álbum pelo Lar Fabiano de Cristo, sendo 8.000 delas distribuídas aos assinantes do “Clube de Arte”, no Brasil e no exterior.

o segundo disco

A partir de 2006, tem início um novo ciclo de trabalho: amplia-se o repertório visando à preparação do segundo CD da banda, “O Brilho da Estrela”, que foi lançado em agosto de 2009, com a certeza da busca pela qualidade vocal, instrumental e acima de tudo da harmonia. Em setembro do mesmo ano, a banda volta a ser um septeto com a chegada de Adriano, convidado a dar sua contribuição vocal e instrumental.

Em março de 2011, nosso amigo Kleber sente a necessidade de assumir outros compromissos. Permanecemos com essa formação até o final de julho de 2012, quando também nosso companheiro Aldo decide abraçar outros desafios.

Nessa mesma época, Diego Azevedo, cantor, compositor, multi-instrumentista e grande amigo nosso assume a produção do 3º álbum, desde o início com a intenção de imprimir novas cores ao trabalho já consolidado da banda.

federação espírita brasileira

Em dezembro de 2013, novo marco na história da banda: o show comemorativo dos 15 anos de trajetória realizado na sede da FEB, em Brasília.

 

Pouco tempo depois, no 1º trimestre de 2014, Izzo Maia junta-se ao grupo, restituindo à formação da banda a flauta, presente no primeiro trabalho.

outro tom

No ano de 2015 são intensificados os esforços para vencer os obstáculos que vinham retardando a conclusão do 3º disco.

Finalmente, no segundo semestre de 2016, é lançado “Outro tom”, inovando na parte instrumental e na diversidade de estilos musicais, prezando pela harmonia e pela pureza Doutrinária.